Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil

Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil

Um centro para impulsionar os esforços de conservação de espécies

Projeto CEPF: Juntos pelas espécies do Cerrado, é a união de instituições nacionais e internacionais para investir, pesquisar, planejar, viabilizar e executar ações em prol da conservação ambiental da região.

Projeto CEPF: Juntos pelas espécies do Cerrado, é a união de instituições nacionais e internacionais para investir, pesquisar, planejar, viabilizar e executar ações em prol da conservação ambiental da região.

O projeto “Uma abordagem integrativa para o avanço da conservação da biodiversidade de espécies ameaçadas do Cerrado brasileiro” é desenvolvido numa parceria entre o Centro Nacional de Conservação da Flora / Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ), o Centro Nacional de Avaliação da Biodiversidade e de Pesquisa e Conservação do Cerrado / Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade / (CBC/ICMBio) e o IUCN SSC Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil (IUCN SSC CSE Brasil) e tem como instituição executora o Instituto Claravis. O projeto é financiado pelo Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF, na sigla em inglês para Critical Ecosystem Partnership Fund) O CEPF é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Europeia, do Fundo Global para o Meio Ambiente, do Governo do Japão, e do Banco Mundial. A sua meta fundamental é garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade aliado a esforços locais.

Objetivo geral

Construir capacidade para aplicação das ferramentas da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) no Brasil e melhorar a integração com estratégias internacionais, enquanto avançamos na gestão dos recursos naturais do país, com destaque para o bioma Cerrado. Para tanto, utilizaremos três ferramentas estratégicas para conservação: as avaliações de risco de extinção (lista vermelha), os Planos de Ação Nacionais e o protocolo Estado Verde da IUCN.
O projeto tem cinco objetivos específicos:

1

Elaboração do segundo ciclo do Plano de Ação Nacional para a Conservação do Faveiro-de-Wilson (Dimorphandra wilsonii Rizzini)

Instituição responsável: Centro Nacional de Conservação da Flora / Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ)

Relevância: Possibilitará uma redefinição dos objetivos e ações prioritárias, bem como a ampliação dos esforços empreendidos para a conservação e recuperação das populações de espécies-alvo e incluir em seu escopo o Faveiro-da-Mata (Dimorphandra exaltata), outra espécie atualmente reconhecida como globalmente ameaçada de extinção.

2

Aplicação do protocolo IUCN Green Status para avaliar o potencial de recuperação e o estado de conservação de Uebelmannia buiningii e outros 9 cactos endêmicos e ameaçados.

Instituição responsável: Centro Nacional de Conservação da Flora / Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ)

Relevância: Com o avanço de novas ferramentas analíticas, o protocolo atende a demanda de medir a recuperação bem-sucedida de uma espécie ameaçada de extinção na natureza

3

Aprimoramento do SALVE (Sistema de Avaliação de Risco de Extinção de Espécies da Fauna) para permitir sua integração com o SIS / IUCN (Sistema de Informação de Espécies), permitindo que as avaliações nacionais brasileiras sejam incorporadas às avaliações globais.

Instituição responsável: Centro Nacional de Avaliação da Biodiversidade e de Pesquisa e Conservação do Cerrado do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade / (CBC/ICMBio)

Relevância: Promoverá uma melhor gestão das informações sobre a fauna ameaçada  do Brasil, com a incorporação de avaliações nacionais de espécies da fauna do Brasil na Lista Vermelha (Red List) global gerida pela UICN, com ênfase nas espécies do Cerrado. O que é especialmente importante para espécies endêmicas que serão beneficiadas diretamente, permitindo que se tornem objetos de iniciativas internacionais de conservação da biodiversidade

4

Tradução para o português das “Diretrizes para o uso das categorias e critérios da Lista Vermelha da IUCN” e do “Curso online da Lista Vermelha da IUCN”

Instituição responsável: IUCN SSC Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil (IUCN SSC CSE Brasil)

Relevância: Remover a barreira do idioma facilitará a capacitação de pessoas na metodologia de avaliação do risco de extinção da IUCN e ampliação de capacidade para aplicação do método no Brasil. O trabalho de tradução também inclui um componente de alinhamento dos termos técnicos entre as três instituições executoras deste projeto. O diálogo com o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro e a IUCN irão catalisar ações e políticas integradas para a conservação e desenvolvimento sustentável do Cerrado.

5

Comunicação das ações, resultados e impactos do projeto.

Instituição responsável: IUCN SSC Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil (IUCN SSC CSE Brasil)

Relevância: Além de divulgar os resultados e impactos do projeto, será possível dar mais visibilidade às espécies do Cerrado com ênfase em espécies ameaçadas e endêmicas. Também serão apresentadas de forma clara, responsável e precisa as três ferramentas estratégicas para a conservação aplicadas no projeto (Lista vermelha, Planos de Ação Nacionais e o protocolo Estado Verde da IUCN) e a sua aplicação por parte das instituições parceiras.

Mecanismo de reclamações

Disponibilizamos os seguintes canais de comunicação para permitir que qualquer pessoa ou grupo de pessoas tenha oportunidade para expressar suas opiniões e preocupações sobre o projeto. As reclamações e sugestões serão abordadas de modo transparente, imparcial e de forma culturalmente aceitável.

E-mail e telefone do Instituto Claravis/ IUCN SSC CSE Brasil:

csebrasil.contato@gmail.com 

+55-45 -3529-8282

Compartilharemos todas as reclamações – e uma resposta proposta – com a Equipe de Implementação Regional e o Diretor de Subsídio do CEPF dentro dos 15 dias após recebimento das mesmas.

Se os requerentes não estiverem satisfeitos após a resposta, eles podem enviar a reclamação diretamente ao Diretor Executivo do CEPF cepfexecutive@conservation.org ou pelo correio no escritório local do Banco Mundial.