Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil

Center for Species
Survival Brazil

Um centro para impulsionar os esforços de conservação de espécies

Facilitamos workshops, capacitamos pessoas para trabalhar com a Lista Vermelha da IUCN no Brasil e conectamos pessoas e dados entre os níveis nacional e global.
Facilitamos workshops, capacitamos pessoas para trabalhar com a Lista Vermelha da IUCN no Brasil e conectamos pessoas e dados entre os níveis nacional e global.

AVALIANDO

A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas ™ da IUCN é reconhecida internacionalmente como o inventário mais respeitado e robusto do estado de conservação global de plantas, animais e fungos. Ela fornece um método padrão e replicável para avaliar o risco de extinção de uma espécie em todo o mundo.

Em 2003, a IUCN publicou diretrizes para avaliar o estado de conservação das espécies em escalas espaciais menores – em nível local, nacional ou regional. Mais de 100 países já elaboraram Listas Vermelhas Nacionais, que vem se tornando uma ferramenta valiosa para planejar e promover a conservação.

As Listas Vermelhas Brasileiras de Fauna e Flora

As Listas Vermelhas Brasileiras de Fauna e Flora

As Listas Vermelhas Brasileiras de Fauna e Flora

Desde 2010, o Brasil adota a Lista Vermelha Nacional como estratégia para cumprir o acordo da CDB e a Meta 12 de Aichi. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) coordena as avaliações de risco de extinção para todas as espécies de vertebrados que ocorrem no território nacional e para alguns grupos de invertebrados, enquanto o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) coordena as avaliações das espécies da flora. Este trabalho subsidia a revisão, pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), da Lista Nacional de Espécies Ameaçadas. É um processo cíclico, com reavaliações a cada cinco anos. Tanto o ICMBio quanto o JBRJ buscam avaliar o maior número possível de espécies.

Eles contam com a colaboração de centenas de especialistas das mais diversas instituições de ensino e pesquisa do país e do exterior, fornecendo e revisando os dados. Esse trabalho resultou na publicação, em 2018, do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, no qual 1.270 cientistas e especialistas se reuniram sob a coordenação do ICMBio para avaliar 12.254 espécies. O JBRJ publicou o Livro Vermelho da Flora Ameaçada do Brasil no final de 2013, contendo o resultado de mais de dois anos de trabalho na avaliação de risco de 4.617 espécies da flora e desenvolveu um sistema online para atualização contínua das informações das espécies da flora. Atualmente, as duas instituições estão em processo de reavaliação das espécies e aumento do número de avaliadas.

Espécies endêmicas

Espécies endêmicas

endemic species

Espécies endêmicas são espécies nativas encontradas apenas em uma determinada região geográfica, como uma ilha, país ou tipo de habitat. Para muitas espécies, uma avaliação nacional cobre apenas uma parte de sua população e/ou distribuição. A Lista Vermelha da IUCN consolida uma avaliação única para cada espécie, considerando a população global do táxon. Porém, se os critérios são usados para avaliar espécies endêmicas em nível regional ou nacional, isso pode ser equivalente a uma avaliação global.

 

Apesar da infraestrutura de Lista Vermelha nacional existente no Brasil, ela não converge com a Lista Vermelha Global da IUCN e vice-versa. Para se ter uma ideia, existem mais de 4.400 espécies da fauna endêmica brasileira que foram avaliadas nacionalmente, mas ainda não estão listadas globalmente. Além disso, uma análise recente do CSE Brasil indica que existe 37% de incompatibilidades de categoria das 1.355 espécies endêmicas do Brasil que foram avaliadas nacional e globalmente. Isso pode ter sérias implicações para a priorização e planejamento para salvar as espécies, bem como para o desenvolvimento de políticas de conservação.

Um dos objetivos do CSE Brasil é identificar os obstáculos e as oportunidades de sinergia entre as avaliações do ICMBio e da Lista Vermelha Global da Fauna da IUCN
Um dos objetivos do CSE Brasil é identificar os obstáculos e as oportunidades de sinergia entre as avaliações do ICMBio e da Lista Vermelha Global da Fauna da IUCN

O CSS Brasil contribui para o aumento das espécies endêmicas brasileiras avaliadas globalmente e ao mesmo tempo avalia as principais questões que levam às discrepâncias de categorias. Portanto, estamos trabalhando para preencher as lacunas e desenvolver um plano de trabalho que possa harmonizar o processo e o conteúdo, ao mesmo tempo que aumenta a capacidade de ambos os lados e evita a duplicação de esforços limitados de conservação.

ESPÉCIES COM DADOS INSUFICIENTES

ESPÉCIES COM DADOS INSUFICIENTES

Espécies com dados insuficientes

Um táxon é classificado como Dados Insuficientes (DD na sigla em inglês) quando faltam informações adequadas para fazer uma avaliação de seu risco de extinção. Um táxon nesta categoria pode ser bem estudado e sua biologia bem conhecida, mas faltam dados apropriados sobre abundância, distribuição ou impacto das ameaças.

O CSE Brasil se oferece para analisar e disponibilizar ao público acadêmico interessado, quais espécies brasileiras são categorizadas como DD e quais aspectos precisam ser mais investigados, para que futuras pesquisas possam ser direcionadas para suprir as lacunas e possibilitar a correta avaliação de risco de extinção da espécie, de forma a orientar as prioridades futuras de conservação e as possibilidades de financiamento.